Laboratório

União Química

Referência

Betametasona Injet.

Apresentação de Beta-long

Susp. inj.: caixa c/ 1 ampola de 1 ml.

Contra-indicações de Beta-long

Em pacientes com hipersensibilidade aos componentes da fórmula ou outros corticóides, ou em pacientes com infecções sistêmicas por fungos. Beta-long não deverá ser administrado por via intramuscular a pacientes com púrpura trombocitopênica idiopática.

Beta-long – Posologia

A posologia de Beta-long é variável, dependendo especificamente da doença, da gravidade do quadro e da resposta do paciente ao tratamento. A dose inicial deve ser mantida ou ajustada até que uma resposta seja obtida. Se após um período de tempo razoável não ocorrer resposta clínica satisfatória, o tratamento com Beta-long deve ser descontinuado e iniciada outra terapia apropriada. Administração sistêmica: Iniciar o tratamento com 1 a 2 ml e repeti-lo quando necessário, em administração intramuscular (IM) profunda na região glútea. A dosagem e freqüência das administrações dependem da condição do paciente e da resposta terapêutica. Em situações de menor gravidade, baixas doses são suficientes, enquanto que em doenças graves (por exemplo, lupus eritematoso sistêmico, mal asmático) já controladas por medidas emergenciais, 2 ml de Beta-long podem ser necessários inicialmente. Inúmeras condições dermatológicas respondem satisfatoriamente a administração do Beta-long IM. Usualmente 1 ml de Beta-long IM, repetido a cada 7 dias, ou de acordo com a resposta terapêutica, é considerado eficaz. Nas doenças respiratórias, o início da melhora dos sintomas se dá dentro de poucas horas após a administração IM de Beta-long. Na asma brônquica, febre do feno, bronquite alérgica e rinite alérgica, o controle efetivo dos sintomas é obtido com 1a 2 ml de Beta-long IM. Na bursite aguda ou crônica, excelentes resultados são obtidos com 1 a 2 ml de Beta-long IM. Caso haja necessidade, repetir a aplicação. Administração local: Se for desejável a co-administração de anestésicos locais com Beta-long, a mistura deve ser feita na própria seringa (não no frasco), utilizando lidocaína 1 a 2%, em formulações que não contenham metilparabeno, proprilparabeno, fenol, etc, pois podem precipitar o esteróide. Outros anestésicos locais similares podem também ser utilizados. A dose requerida de Beta-long é transferida para uma seringa e, em seguida, o anestésico. A mistura, na seringa, deve ser levemente agitada. Em bursites agudas subdeltóideas, subcromiais, olecranianas e pré-patelares, nas tenossinovites e peritendinites, uma injeção intrabúrsica de 1 a 2 ml de Beta-long pode aliviar a dor e restaurar a completa movimentação em poucas horas. Na bursite aguda recorrente e nas exarcebações agudas da bursite crônica, várias aplicações de Beta-long são usualmente necessárias. A bursite crônica pode ser tratada com doses reduzidas, uma vez que os sintomas agudos estejam controlados nas tenossinovites, tendinites e perintendinites agudas, uma injeção de Beta-long pode trazer alívio; já nas formas crônicas, três ou quatro injeções locais de Beta-long, com intervalos de 1 a 2 semanas, são suficientes para a maioria dos casos. As injeções podem ser administradas preferivelmente dentro da bainha do tendão afetado, ao invés do próprio tendão. Nos gânglios das cápsulas articulares e das bainhas dos tendões, injeções de 0,5 ml de Beta-long diretamente no cisto ganglionar produzem marcadas reduções na lesão. Na artrite reumatóide e osteoartrite, a administração intra-articular de 0,5 a 2 ml de Beta-long alivia a dor, a sensibilidade e a rigidez dentro de 2 a 4 horas. A duração do alívio é de 4 semanas ou mais na maioria dos casos. A administração intra-articular de Beta-long tanto nas articulações como nos tecidos periarticulares é bem tolerada. As doses recomendadas para injeção intra-articular são: ARTICULAÇÃO LOCALIZAÇÃO DOSE (ML) Grandes: Joelho, bacia, ombro dose de 1 a 2 ml Médias: Cotovelo, pulso, tornozelo dose de 0,5 a 1 ml Pequenas: Pé, mão, tórax dose de 0,25 a 0,5 ml Afecções dermatológicas: nos tratamentos intralesionais, recomenda-se injetar 0,2 ml/cm² de Beta-long intradermicamente (não subcutânea), usando uma seringa tuberculínica com agulha calibre 26. O volume de Beta-long, injetado em todas as áreas, não deve ultrapassar a 1 ml com intervalos de 1 semana. Afecções de pé: utiliza-se seringa do tipo tuberculina com agulha calibre 25 para afecções susceptíveis aos corticosteróides. As seguintes doses são recomendadas em intervalos de 3 a 7 dias: DIAGNÓSTICO DOSE (ML) Bursite: 1 ml Bursite sob calo duro ou mole: 0,25 a 0,5 ml Esporão de calcâneo: 0,5 ml Hallux rigiduz, digiti quinti varus: 0,5 ml Cisto sinovial: 0,25 ml Neuralgia de Morton (metatarsalgia): 0,25 a 0,5 ml Tenossinovite: 1 ml Periostite do cubóide: 0,5 ml Artrite gotosa aguda: 0,5 a 1 ml Após obtenção da resposta favorável, a dosagem de manutenção deve ser determinada através da diminuição gradual da dose inicial, em intervalos apropriados, até que seja encontrada a dose mínima capaz de manter uma resposta clínica adequada. A exposição do paciente a situações estressantes, não relacionadas com a doença em curso, pode exigir um aumento de dose de Beta-long. Após tratamento prolongado com Beta-long, a descontinuação deste deve ser feita de forma gradual.