O Zinco é um elemento essencial para o organismo e sua falta é relacionada a algumas enfermidades, sendo que em excesso tem efeitos tóxicos. A deficiência de zinco pode ser devida à ingestão diminuída, alterações de absorção ou perda excessiva. Em queimaduras de 3º grau existe uma perda exagerada pelo exsudado das feridas. Outras causas de diminuição de zinco podem incluir cirrose hepática, colite ulcerativa, doença de Crohn, enterite regional, intolerância ao glúten, cirurgias de bypass intestinal, neoplasias, anorexia e desnutrição crônica. Já na intoxicação, o zinco atua como irritante do trato respiratório superior, sistema gástrico e é corrosivo da pele e mucosas. O exame é útil no diagnóstico de deficiência, assim como de intoxicação.
Indicações: Avaliação dos estados de deficiência de zinco relacionados a ingesta diminuída, nutrição parenteral e enteral, doentes graves, queimados, diabéticos, problemas de retardamento de cicatrização, retardo de desenvolvimento pondo-estatural, anemia falciforme. No monitoramento do tratamento com zinco (enteropatias e doença de Wilson). Exame útil também para monitorização de indivíduos profissionalmente expostos ao zinco, usado em galvanoplastia; fábrica de acumuladores e baterias; sínteses químicas; manufatura de papel pergaminho; refinação de óleo; vulcanização de fibras e da borracha; cimento dental, desodorantes, desinfetantes, carbono ativado, tinturas, tintas, cerâmicas, vernizes, produto químico para uso militar; fotocopiadoras.
Interpretação clínica: Os níveis podem estar diminuídos em vigência de febre, sepsis, uso de terapia estrogênica, estresse e infarto do miocárdio devido a alterações de distribuição corporal sem significar uma deficiência verdadeira. Os valores baixos encontrados na insuficiência renal não são acompanhados de alteração tecidual de zinco. Valores elevados podem corresponder a uma doença familiar denominada de hiperzincemia familiar na qual não há sintomas ou sinais relacionados a intoxicação. Alguns complexos vitamínicos ou medicamentos contra estresse contém zinco e podem interferir elevando os níveis séricos de zinco. Na avaliação ocupacional os valores acima do IBMP indicam uma exposição ambiental acima do limite de tolerância, mas não possuem, isoladamente, significado clínico ou toxicológico próprio.

Sugestão de leitura complementar:

Krugman SD, Dubowitz H. Failure to thrive. Am Fam Physician 2003;68:879-84
Staudinger KC, Roth VS. Occupational lead poisoning. Am Fam Physician 1998;57:719-26

Summary
Review Date
Reviewed Item
Avaliação
Author Rating
51star1star1star1star1star